Como montar uma loja virtual de roupas?

Como montar uma loja virtual de roupas

Moda e acessórios é a categoria com maior volume de pedidos no e-commerce brasileiro. O setor capturou 14% das vendas totais pela web no ano passado (2015) e repete uma liderança que já vinha ocorrendo por pelo menos dois anos anteriores (2013 e 2014). Com esse mercado efervescente na internet surge para muitos uma perspectiva de negócio e uma dúvida: como montar uma loja virtual de roupas?

Para te dar uma mãozinha com isso, separamos alguns pontos essenciais para quem quer abrir sua loja de roupas na web e não faz a menor ideia de como começar. Confira:

1) Defina o segmento e trace um plano de negócio

Que tipo de roupas você vai vender? O casual/ urbano ou formal? Para homens ou mulheres? Com foco em qualidade ou preço? Quem é, afinal, seu público? Tenha isso em mente antes de começar. Algumas startups trabalham hoje com o conceito de MVP, Minimum Viable Product ou Mínimo Produto Viável, que substitui o velho plano de negócios. Com isso, definem uma base necessária para começar, mas que não é fechada, pode ser aprimorada com a própria experiência de inserção no mercado. Vale ter esse embasamento mínimo e começar!

2) Escolha a plataforma que melhor atenda suas necessidades

Entre as decisões mais importantes a serem tomadas está a escolha da plataforma, uma base importante sobre a qual seu negócio será apoiado. Por isso, uma estrutura limitante poderá se mostrar uma barreira para você expandir o negócio em um futuro próximo. Assim, antes de optar por uma plataforma gratuita, de código aberto ou paga, pense se você irá querer customizar sua página (as gratuitas não permitem), se entende de programação (as de código aberto podem demandar algum conhecimento) e se irá precisar de suporte (as pagas oferecem isso, mas cobram uma percentagem da receita). Escolha conforme o que pode e precisa para agora, mas que também atenda sua projeção de crescimento pelo menos a curto e médio prazo.

3) Contrate um serviço de hospedagem e o domínio do site

Você vai precisar de um domínio para seu site e serviços de hospedagem, e o ideal é que isso seja fornecido por uma empresa estável e com boa estrutura. Antes de escolher o domínio pense bem no valor da marca definida e como seus clientes irão buscar por você. Domínios .com podem ser mais baratos que .com.br, mas se seu foco é o mercado nacional vale pensar se a terminação nacional não é mais relevante para o negócio. Já a hospedagem deve atender sua estrutura: analise se precisará de um servidor dedicado e outros aspectos.

4) Defina o perfil da intermediadora ou gateways de pagamento

Seu cliente irá precisar realizar transações de pagamento, certo? Bem, como no ambiente offline, os riscos de segurança aqui também são um fator importante. Basicamente há três sistemas possíveis nesse campo:

  • Intermediadora de pagamento – são empresas como Pagar.me e Pagseguro que provém maior segurança, são simples de usar, aceitam boleto e diversas bandeiras de cartão de crédito. Elas já vêm prontas para a integração, no entanto cobram taxas mais caras que de outros métodos;
  • Gateways – o lojista contrata o sistema que intermedeia o pagamento, como Cielo, Stone e Redecard, mas é ele quem negocia diretamente com as bandeiras. O modelo requer do lojista mais investimento que envolve a contratação do gateway, somado às taxas das bandeiras, um valor que poderá variar. Como exemplo de gateways podemo citar a Mundipagg;
  • Integração direta com a adquirente – em geral, usado por lojistas maiores que devem desenvolver todo o sistema de transação, prover toda a segurança e negociam diretamente com as bandeiras de cartões de crédito, como Stone, Cielo e Rede. Saem mais em conta a longo prazo, mas o investimento inicial e responsabilidades são bem mais altos;

5) Não negligencie cuidados com segurança

E-commerces mantém conteúdo sigiloso: informações pessoais de clientes e dados de transações bancárias. Qualquer exposição, portanto, envolve um campo delicado e pode gerar consequências graves como roubo de informações e ataques ao site. Para se proteger disso, obtenha uma certificação de segurança SSL e invista em serviços de blindagem do site. Estas ações contribuem por dificultar a ação de pessoas mal-intencionadas. Aqui explicamos um pouco mais sobre esse tema. E caso você opte por utilizar pagamento através de gataways, ou por integração direta com a adquirente, o cuidado com segurança deverá ser ainda maior.

6) Cuide atentamente da logística e frete

Um ponto importante na sua loja virtual de roupas é que ela dê conta de toda a logística de entrega e gestão do estoque. Para isso, conforme o negócio se expandir, vale adotar métodos de gestão que aprimorem esse controle e permitam maior visibilidade desses itens. Entenda, afinal, como será o despache das mercadorias para outros estados, como será o cálculo de frete e entrega e, se for necessário, use ferramentas que ajudem nesses pontos.

7) Tenha um bom canal de atendimento e suporte

Entenda que na web sua loja poderá ganhar uma projeção enorme, então mais pessoas podem procurá-lo para sanar dúvidas ou entender o andamento de algum pedido. O melhor é apostar em manter um bom canal de atendimento ao cliente e, se possível, adotar métodos distintos como e-mail, telefone, redes sociais e chats. Claro, você pode começar menor, com menos canais e depois expandir conforme as demandas começarem a crescer.

8) Invista em marketing e divulgação

Estar na web pode ser bem relevante, mas tão importante quanto é que as pessoas tomem nota de sua existência virtual. Conte a elas, por meio de ações de marketing, sobre sua nova loja virtual de roupas. Desenvolva campanhas de marketing digital, otimização para buscas e marketing de performance como métodos de alavancar seu público. Mas, mesma coisa que para alguns itens acima: invista pouco no começo (mas invista) e depois amplie conforme seu capital e intenções de crescer mais e mais.

9) Expanda seu negócio ao integrá-los com marketplaces

Uma forma interessante de expandir vendas é também integrar seu e-commerce de roupas aos marketplaces. Algumas redes como Americanas.com, Submarino e Shoptime permitem que lojistas integrem suas lojas a elas, desta forma, exibindo seus produtos para todo o conjunto de clientes que eles já mantêm. É uma forma do lojista ampliar vendas e atingir um mercado ainda maior. O bom é que o lojista poderá usar a estrutura desses espaços, incluindo o site, sistemas de pagamento, equipe de suporte, segurança e etc. O custo de investimento? Zero, será cobrada apenas uma comissão por venda realizada.

10) Faça uma gestão contínua de resultados

Não menos importante que os demais, esse item é um lembrete que o gestor terá sempre um papel fundamental na administração do negócio. Por isso, saber ler os resultados, entender os produtos que vendem mais, onde investir mais ou menos recursos são elementos que devem nortear o empreendedor. Acompanhe atentamente e regularmente tudo isso e elabore estratégias de negócio a partir disso, lembre-se que, “o que engorda o porco é o olho do dono” e mantenha o olhar bem atento.

Saiba como a Site Blindado pode ajudar sua loja de roupas a transmitir mais credibilidade para o consumidor:

 

 

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s