7 hacks para melhorar sua taxa de conversão

Taxa de Conversão

Um dos assuntos mais delicados quando se trata de e-commerce é justamente a questão da conversão e, acredite, é um desafio para boa parte do mercado. Segundo a pesquisa Experian Hitwise, a taxa de conversão no Brasil é de 1,65%, ou seja, muito baixa. E nesse artigo queremos te ajudar a melhorar esse número em sua loja virtual.

Mas o que é taxa de conversão?

Bom, imagine que 100 clientes acessam seu site todos os dias, mas apenas 3 deles realizam a compra, estamos falando de uma taxa de conversão de 3%. Segundo a pesquisa que usamos aqui, a cada 100 acessos nos e-commerces brasileiros, menos que duas compras são concluídas.

Isso impacta diretamente o caixa de vários negócios, afinal, existe o custo de divulgação, assim como o investimento em tecnologia, segurança e outros pontos importantes de uma loja virtual.

Como trabalhar, de imediato, a questão da conversão

O desafio já faz parte da realidade de muitos lojistas, mas o ponto é: de que forma isso pode ser revisto para que a loja virtual consiga reter os clientes que acessam o site, o que significa mais dinheiro em caixa.

Vamos apresentar alguns hacks (macetes) que podem ajudar, e eles serão divididos em duas partes. A primeira com três deles:

1 – Você precisa de dados: só será possível tomar medidas para melhorar a conversão de sua loja virtual se existirem dados e indicadores que permitam entender o comportamento do usuário, como: de onde ele chega, qual canal gera mais vendas e outras informações importantes. Essas informações estão disponíveis em ferramentas como o Google Analytics, e dados de vendas. Se você não tem isso estruturado, comece agora, só assim será possível tomar ações. Estratégias desenvolvidas sem embasamento são apenas “chutes”.

2 – Entenda quem é seu target: com os dados estruturados será possível definir algo que parece básico, mas que nem sempre é aplicado: a definição do seu público-alvo. Você pode ter desenvolvido o site pensando em atrair um tipo de cliente, mas será esse o público que acessa o seu site? Para identificar seu target é possível usar ferramentas gratuitas, como o próprio Google Analytics, por exemplo. Se ele estiver corretamente configurado será possível saber a idade dos seus usuários, sexo e categorias de interesse, além das páginas mais acessadas, os termos orgânicos (de buscadores como Google) e que direcionam para seu site. Essas informações geram insumos que permitirão ter uma ideia de quem é seu público. Pegue esses dados e cruze com sua base de clientes ativos (aqueles que realizam compras) e veja se há compatibilidade entre os perfis. Se não, é preciso encontrar formas de atingir apenas o perfil de público que acessa sua loja virtual.

3 – O que o seu cliente quer: seu cliente está definido, agora, você sabe o que ele quer, onde ele está e o que quer comprar? É preciso estudar esse público para entender como é possível atendê-lo melhor e fazer com que ele compre com você. Isso envolve canais de marketing, linguagem empregada e fatores importantes como preço e frete.

Com essas dicas, o público que chega ao seu site já será mais qualificado, pois você terá feito um filtro e se preparado para receber aqueles que, baseados em estudos, são seus clientes potenciais. Mas isso não significa que a conversão é certa.

Existem elementos no site que devem ser trabalhados para que o resultado se potencialize e a conversão realmente ocorra. E, com isso em mente, apresentamos o restante dos hacks que vão por esse caminho.

4 – Credibilidade: o cliente foi impactado pela sua comunicação ou posicionamento orgânico, agora precisa identificar elementos que gerem credibilidade e o deixem confortável para realizar a compra. Esses elementos são os selos de segurança, utilização do SSL (https na barra de navegação), política de troca, suporte ao cliente – simples de serem encontrados. Se ele não identificar esses elementos dificilmente permanecerá no site.

5 – Campanhas baseadas no comportamento do cliente: se o consumidor gosta de calçados mais esportivos, evite oferecer modelos mais sociais ou que não tenham muita relação com o histórico de compra dele. Quando o consumidor já fizer parte da base de clientes, procure mandar anúncios que façam sentido para ele, e sempre em datas próximas ao seu padrão de compras. Por exemplo, uma pessoa X costuma realizar compras entre os dias 5 e 10. Nesse período vale intensificar produtos relacionados com o que ela já comprou em outro momento. Você não precisa de um grande software para isso: se todas as vendas forem inseridas em uma planilha, você já consegue fazer uma segmentação de base com os filtros do Excel. Por categoria, por produtos, por data e assim por diante.

6 – Invista na experiência mobile: segundo a última edição da pesquisa Webshoppers, cerca de 30% dos acessos às lojas virtuais no Brasil são feitos por mobile. Faça um exercício rápido: ao sair na rua, veja a quantidade de pessoas conectadas em smartphones. Se sua empresa quer melhorar a conversão, por que não criar uma experiência mobile convidativa a compra? Uma estratégia mobile bem desenvolvida permite que o cliente faça o clique em um anúncio do Facebook, seja direcionado ao e-commerce e lá, encontre motivos e elementos que o convide a realizar a compra. Vamos a um exemplo que vai mostrar essa necessidade: se você tem anúncios no Facebook direcionando para a página, sem especificar que ela precisar estar em um ou outro device, o cliente terá mais chances de comprar pelo smartphone, que está o tempo todo com ele, ou pelo computador, que pode estar fora do alcance durante todo o dia?

7 – Facilite a experiência do cliente: muitas vezes o cliente gostou da sua loja, do preço e quer comprar, mas nesse momento ele inicia uma “aventura” para conseguir finalizar a compra. O processo é longo, cheio de etapas e, mesmo convencido a fazer a compra, desiste – e o pior – vai para a concorrência. Reveja o funil de venda, entenda se o método empregado faz sentido para clientes com experiência mobile, mas também para aquele que tem descoberto agora esse mercado. Isso vale também para a questão do preço, afinal, muitos lojistas ainda deixam o valor do produto ou frete visíveis apenas na última etapa do processo.

Você recebeu várias dicas, agora precisa aplicá-las em seu negócio e isso exige planejamento. Se estruture, entenda como os processos podem ser alterados e prepare-se para melhorar a conversão de seu site.

Um comentário sobre “7 hacks para melhorar sua taxa de conversão

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s