fraude no e-commerce

Segurança de site e e-commerce

Fraude no e-commerce: quais são os tipos mais comuns?

8 jan , 2019  

Mesmo com o varejo online crescendo nas compras há anos, as chances de fraude no e-commerce ainda deixam os consumidores e lojistas receosos quanto à segurança na internet. Por conta disso, a atenção sempre deve ser redobrada quando se vai adquirir um produto de uma loja virtual.

3 fraudes no e-commerce que você deve conhecer

Com a intenção de te alertar quanto às vulnerabilidades online, nós reunimos neste artigo alguns dos tipos mais comuns em relação ao comércio eletrônico. Confira 3 delas!

1. Fraude efetiva

A fraude efetiva é a que acontece com mais frequência nas lojas virtuais. Ela é caracterizada pelo roubo de dados pessoais e de cartão de crédito para fazer a compra de algum produto na internet. Não é algo positivo para nenhum dos lados. Porém, quem geralmente perde nesse caso é o lojista.

Quando um consumidor tem os dados roubados e alguma compra é feita em seu nome, ele consegue verificar essa informação em sua fatura. Assim, ele alerta a administradora do cartão crédito, que faz a devolução do valor ao cliente. Por outro lado, como a entrega costuma ser rápida, o lojista, provavelmente, já enviou esse produto ao consumidor. Assim, acontece o chargeback, o lojista fica sem o produto e sem o dinheiro, e o lojista ainda corre o risco de perder o cliente.

2. Controle de conta

Esse tipo de fraude no e-commerce também é bastante comum, pois utiliza de phishing para enganar os consumidores. No phishing, pessoas mal-intencionadas utilizam o mesmo tipo de comunicação e identidade visual de uma loja virtual para fazer com que o cliente acredite ser o e-commerce original. Assim, quando os dados pessoais e financeiros são inseridos, eles são roubados.

Quando pessoas mal-intencionadas têm acesso a essas informações, conseguem ter acesso às contas bancárias, saldos, cartões de crédito, etc.

3. Password cracking

Para realizar uma compra online, é necessário fazer um cadastro na loja virtual com informações pessoais: nome, CPF, dados bancários, endereço, etc. Neste tipo de fraude no e-commerce, o cibercriminoso descobre sua senha e acessa sua conta para alterar os endereços de entrega. Assim, ele recebe o produto no seu lugar e, pela demora até que essa prática seja descoberta, o e-commerce sai no prejuízo.

Esses são os tipos mais comuns de fraude no e-commerce e serve de alerta para que os consumidores estejam sempre atentos às ações de pessoas mal-intencionadas. Já sofreu algum tipo de fraude no comércio eletrônico? Conte para a gente nos comentários!

Leia também:

Selo de segurança: como saber se é verdadeiro ou fraude?

Você sabe como funciona um sistema antifraude?

Menor risco de fraude: boletos bancários deverão ser registrados na Febraban

,