fornecedores para e-commerce

Segurança de site e e-commerce

Site Blindado e outros 4 fornecedores para e-commerce que vão impulsionar seu negócio

12 jan , 2017  

Administrar e gerenciar uma loja virtual exige, além de organização, a utilização de ferramentas estratégicas que otimizem o trabalho em diferentes frentes.

Além da segurança, alguns pontos importantes são a conversão do marketing em vendas, estratégia de preço e busca por expansão vendendo em novos canais.

Por isso, listamos aqui os benefícios de contar com a Site Blindado e indicamos outras 4 fornecedores para e-commerce que são indispensáveis para o sucesso e crescimento de seu negócio. Confira:

 

1 – Segurança e credibilidade: Site Blindado

A Site Blindado oferece um pool de soluções de segurança para lojas virtuais que incluem o Certificado Digital SSL (secure sockets layer), Blindagem de Sites, WAF (web application firewall) e Pentest, além de consultoria especializada. A empresa ajuda varejistas a aumentarem seu nível de segurança, além de potencializar as chances de conversão da loja, já que a utilização do selo Site Blindado – exibido nas principais lojas virtuais do mercado – ajuda o consumidor a identificar que está comprando em um site seguro, no qual seus dados estarão protegidos.

 

2 – Gerenciamento e inteligência de performance: Admatic

A empresa é especialista em gerenciamento e inteligência de marketing de performance. Com a Admatic, lojas virtuais que investem em diferentes canais de performance, como Retargeting, Afiliados, Google Shopping, Facebook Ads e Comparadores de Preço, podem centralizar esses canais em uma única plataforma, que consome um único XML. Assim, não é preciso entrar em cada canal para atualizar os status das campanhas, pausa-las ou ativá-las.

Com a Admatic as lojas virtuais ganham tempo para as tomadas de decisões estratégicas para seus negócios, além de ter acesso a dados condensados para melhor compreensão e análise dos investimentos direcionados ao marketing. Outro diferencial é a integração direta como o AdWords, que também pode ser integrado na mesma plataforma.

 

3 – Precificação e inteligência de preço: Sieve

O preço é um dos principais fatores de decisão de compra para o consumidor, por isso, é preciso encontrar equilíbrio para o valor que será praticado em sua loja virtual – ele deve ser atraente ao consumidor ao mesmo tempo que mantém margens sustentáveis para a sobrevivência e resultados do negócio.

A Sieve ajuda justamente nesse sentido, já que a plataforma permite monitorar o comportamento de preço de seus principais concorrentes e entender como é a precificação de determinados itens na média do mercado. O varejista pode identificar casos em que o preço pode ser reduzido, ou mesmo produtos que são comercializados com preço muito abaixo de outras lojas – situações nas quais podem estar “escondidas” oportunidades de ganho de margem.

Além disso, é possível configurar regras de precificação automáticas, que tomam como base as alterações da concorrência. Por exemplo, é possível se manter sempre 5% mais barato que a Loja X. Assim, todas as vezes que ela alterar o preço, o valor praticado em sua loja para o mesmo item também sofrerá alteração. É possível colocar um teto para a redução do valor.

 

4 – Marketplace: B2W Marketplace

O B2W Marketplace reúne as principais lojas virtuais do país – Americanas.com, Submarino e Shoptime e permite que varejistas de diferentes tamanhos, além de fabricantes e distribuidores exponham seus produtos para mais de 20 milhões de consumidores todos os meses. Não existe mensalidade para estar nesse canal, nem taxas referentes a marketing ou tecnologia. O canal cobra apenas uma comissão por venda realizada, ou seja, você só paga se vender.

 

5 – Integração e gestão de marketplace: SkyHub

Entrar no marketplace é um ótimo negócio já que os players que operam dessa forma costumam atrair um público considerável, mas o processo de integração e gerenciamento desses canais pode ser facilitado com a utilização de um integrador. Pioneira e líder de mercado, a SkyHub oferece integração com os principais marketplaces, fazendo com que o seller, nome dado a quem vende por meio desses canais, tenha total controle sobre os pedidos recebidos, precificação por canal, além de poder concentrar informações da própria loja virtual e estoque na plataforma.

Princípios básicos de segurança para lojas virtuais

 

Leia também:

Segurança de e-commerce: por onde começar

Glossário de segurança da informação para o e-commerce

Percepção de segurança ajuda o e-commerce a vender?


By